"O que confia no Senhor, esse é feliz ". Provérbios 16.20

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Um pouco sobre a política de sergipe



1975/1978 - Governo José Rollemberg Leite
Em 1977 João Alves Filho, jovem engenheiro formado em Salvador, foi nomeado prefeito de Aracaju (1977/1979) no governo de José Rollemberg Leite (o homem das letras). João Alves se notabilizou por promover a infraestrutura de Aracaju, na área do saneamento básico, e de abrir as primeiras avenidas importantes da capital sergipana - que até então tinha um formato provinciano, e criar o bairro Coroa do meio ao construir a ponte que atualmente liga o Bairro 13 de julho ao shopping Riomar. Naquela época João Alves Filho era o novo, uma revelação na sisuda política local. Ele havia sido membro da Juventude Universitária Católica (JUC) e redator do jornal da frente única das esquerdas, na BA, e um proeminente engenheiro civil da Construtora Alves Ltda., do seu pai, na sua volta à Aracaju.

José Rollemberg Leite, professor e engenheiro, ex-governador eleito (1947/1951), o mais admirável governador sergipano que eu tenho conhecimento, voltou a governar Sergipe no período de 1975 a 1978 (nomeado pelo regime de exceção) e foi quem mais contribuiu para a educação no estado, passando o governo para o também nomeado governador Augusto do Prado Franco.

1979/1982 - Governo Augusto Franco (Vice: Djenal Tavares de Queirós)
Augusto Franco formado em Medicina na Bahia (ex deputado Federal e ex senador), foi nomeado governador  empreendendo uma profícua administração com muitas obras, entre elas a adutora do São Francisco. Na sua saída do governo do estado (1982) Augusto Franco candidatou-se a deputado Federal, sendo o parlamentar mais votado na história de Sergipe, (depois de Jackson Barreto, que foi eleito vereador de Aracaju e levou mais sete correligionários para a Câmara). Augusto Franco aprovou o nome do ex-prefeito João Alves Filho para concorrer ao governo do estado e do seu filho Albano Franco (Deputado estadual e já presidente da CNI, de onde havia sido diretor) para o Senado da República. Esse grupo derrotaria o senador (1975/1982) Gilvan Rocha, do PMDB histórico, e que representava a ala progressista da política brasileira ao lado de Jackson Barreto, Wellington Mangueira, Jackson Sá Figueiredo, José Carlos Teixeira, Wellington Paixão, dentre outros ardorosos militantes da redemocratização do país.

1983/1986 - Governo João Alves Filho, PDS (Vice: Antônio Carlos Valadares, PDS)
João Alves Filho foi o primeiro governador eleito pelo voto popular na ditadura militar e realizou um governo voltado para o homem do campo com o programa Chapéu de Couro, onde a construção de açudes amenizava o problema da seca no sertão. Em 30 de maio de 1985, o então deputado federal, José Carlos Teixeira é nomeado pelo governador João Alves Prefeito de Aracaju, em substituição a Heráclito Rollemberg que fora nomeado para o TCE sergipano. Teixeira passaria o governo da capital para Jackson Barreto, militante da redemocratização do país pelo PMDB, primeiro Prefeito eleito depois da ditadura militar, em 1 de janeiro de 1986. Nesse mesmo ano Teixeira concorreu à sucessão de João, contra o seu candidato Valadares. João sairia do governo do Estado para ser o ministro do interior do governo José Sarney.


1987/1990 - Governo Valadares, PFL(Vice: Benedito Figueiredo, PMDB)
Antônio Carlos Valadares, formado em Química e Direito pela UFS, vice-governador de João Alves, ex Prefeito de Simão Dias, ex Deputado estadual, ex Secretário de Educação (de Augusto Franco), e ex Deputado Federal, (que era o homem de confiança dos Franco e por eles fora indicado para servir de elo ao Governo João Alves), por meio de uma bem costurada composição política, foi o candidato escolhido por João Alves para ser o seu sucessor no Palácio Olímpio Campos, cortando o cordão umbilical de ambos à escola política dos Franco no Estado. O candidato anteriormente previsto nesse grupo para suceder João Alves era Albano Franco. João e Valadares, com o apoio de Jackson Barreto PMDB, enfrentaram e derrotaram o ex deputado Federal e ex prefeito da capital nomeado, indicado por João Alves (1985/1986), José Carlos Teixeira. O vice de Valadares foi Benedito Figueiredo, indicado pelo recém-eleito Prefeito de Aracaju, Jackson Barreto. NESSE PERÍODO JOÃO ALVES FILHO FOI MINISTRO DO INTERIOR NO GOVERNO DE JOSÉ SARNEY.

1991/1994 – Governo João Alves Filho, PFL (Vice: José Carlos Teixeira, PMDB)
Apoiado por Valadares, João Alves Filho retorna ao comando do Governo do Estado, derrotando o candidato das oposições, José Eduardo Dutra. Na dobradinha Albano Franco é reeleito para o Senado (1991/1998. José Carlos Teixeira é escolhido vice-governador na chapa de João Alves.

1995/1998 – Governo Albano Franco, PSDB (Vice: José Carlos Machado, PFL)
João conseguiu eleger seu sucessor ao governo do estado, o senador Albano Franco, que venceu o ex-prefeito de Aracaju, Jackson Barreto. Assume na vaga de Albano o suplente José Alves do Nascimento, irmão de Maria do Carmo Alves. Pela oposição Marcelo Déda é eleito deputado federal e Valadares e Eduardo Dutra são eleitos para o Senado (1995/2002).

1999/2002 – Governo Albano Franco, PSDB (Vice: Benedito Figueiredo, PMDB)
Albano Franco derrota João Alves Filho para o governo do estado, Maria do Carmo Alves é eleita para o senado da república. Marcelo Déda é reeleito deputado federal.

2001/2004 – Governo municipal de Aracaju – Marcelo Déda, PT (Vice: Edvaldo Nogueira, PC do B)
O ex-deputado estadual e federal Marcelo Déda, militante da redemocratização do país pelo PT,vence as eleições para a prefeitura da capital com larga vantagem de votos, no primeiro turno.

2003/2006 – Governo João Alves Filho, PFL (Vice: Marília Mandarino, PSC)
João Alves Filho derrota o médico Francisco Rollemberg, candidato de Albano Franco ao governo do estado e o senador José Eduardo Dutra, candidato das oposições, e elege Almeida Lima para o Senado na vaga de Eduardo Dutra. Valadares é reeleito senador da República (2003/2010), pela oposição.

2005/2008 – Governo municipal de Aracaju – Marcelo Déda, PT (Vice: Edvaldo Nogueira, PC do B)
Marcelo Déda reelege-se no primeiro turno, com larga vantagem de votos, afastando-se em 2006 para disputar e vencer a eleição para o governo do estado, contra o então governador João Alves.

2007/2010 – Governo Marcelo Déda (Vice: Belivaldo Chagas, PSB)
João Alves, no primeiro turno, perde o governo do estado para o ex-prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, mas consegue reeleger a sua esposa Maria do Carmo para a única vaga, nesta eleição, no Senado da República. Marcelo Déda é eleito em virtude da proposta de uma nova forma de administrar o estado e gerir os recursos públicos.

2011/2014 – Governo Marcelo Déda (Vice: Jackson Barreto, PMDB)
No primeiro turno o governador Marcelo Déda vence o ex-governador João Alves Filho. O deputado federal Eduardo Amorim, PSC, é eleito para o Senado da República com maior quantidade de votos que o próprio candidato a governador da sua coligação. O estado - e o país, entra em crise financeira e o governador em grave crise de saúde. João Alves Filho é eleito prefeito da capital para o quadriênio 2013/2016.

Autor: Alberto Magalhães

PS. Aceita-se observações a este texto. Atualizado em 08 de julho de 2013.

4 comentários:

  1. Sergipaníssimo Alberto

    Excelente pesquisa. Eu achei por aqui e gostaria de citar os links

    http://www.planalto.gov.br/Infger_07/governadores/GOV-SE.htm

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Carlos_Mesquita_Teixeira

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Elei%C3%A7%C3%B5es_gerais_no_Brasil_em_1990

    que mostram João Carlos Mesquita Teixeira como Vice governador de João Alves Filho em 1990. Só achei neste, depois de procura no TSE e TRE SE. Tem um trecho escrito por você na pesquisa que diz:" NOV/92 - João Alves Filho foi o primeiro Governador eleito pelo voto direto(...) - não seria NOV /82?

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Ok! meu caro Marcos, a data correta é 1982 em vez de 1992, houve um erro de digitação. E o Vice de 1990 realmente foi José Carlos Teixeira que estava em aberto nesta modesta pesquisa. Está tudo atualizado.

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Lula diz que caso eleja a Guerrilheira , não irá intervir no governo dela .
    Você Acredita!?
    kkkkkkkkkkkkkk
    LULA DA SILVA, UM MENTIROSO !!!

    O que ele diz, não podemos escrever, muito menos acreditar!!!
    Ele(Lula) Jurou de Pé Juntos que nada sabia sobre o Mensalão do PT .
    Recentemente em depoimento confessou que sabia.
    Seu governo é o + corrupto já visto no Brasil e ele sempre diz : Não vi nada, não sei de nada e nada sei .
    Um demagogo, mentiroso e oportunista que ficará na história como o presidente do governo + corrupto já visto nesse País.

    Nikacio lemos
    23 anos

    ResponderExcluir
  4. Eu lamento que um post tão bom tenha sido manchado pelo pensamento deste internauta Nikacio Lemos. Totalmente em desacordo com o texto quer impor sua ideologia ultra-direitista. Quais suas fontes? 'O Globo'? Jornal Nacional? As novelas carioquizantes e higienizadas da Globo? As colunas do Rodrigo 'Olha Como Escrevo Bobagens' Constantino? A revista Veja? (que adora alardear o anti-estatismo, mas mama a fundo no governo de SP com venda de revistas sem licitação para as escolas, em troca de puxa-saquismo para os tucanos?). O Mainardi se foi e parece que deixou vários discípulos acéfalos. Eu sei que existe uma tendência unilateral atual, um 'oba oba', um excesso de otimismo aliado ao apoio de instituições como igrejas e mídias (IURD e TV Record), mas daí partir para o fascismo é demais. Não consigo imaginar o que esse pessoal ultra-direitista vai bolar caso percam a eleição. Irão acusar os 'nordestinos famintos e ignorantes' pela virtual eleição de Dilma? Improvável, pois se confirmadas as pesquisas de opinião, Serra perderá com grande margem para Dilma no 'civilizado' e 'europeu' estado de São Paulo. E aí? O que a turma do 'Cansei' vai fazer? Assitir ao Manhattan Conection e postar comentários no blog do 'engajado' Carlos Vereza'? Felizmente o
    Brasil parece estar mudando mesmo com todos os problemas e a direita cheirosa sem imaginação vai ter que dormir com essa.

    ResponderExcluir